May 072009
 
Casal

Quando nós nos casamos, eu e minha esposa pensávamos em ter 3 filhos. Nós gostamos de crianças e sonhávamos com aquela casa cheia nos almoços de domingo, aquela criançada correndo por todo lado e depois viriam um monte de netos, enfim, cumprir devidamente o mandamento “Crecei-vos e multiplicai-vos”.

Realmente não existe nada mais lindo e gratificante do que você ver uma semente sua crescendo, florescendo e gerando frutos.

Mas a realidade da vida não se tem mostrado tão generosa assim. Sabe-se muito bem da dificuldade que é criar e garantir o futuro de uma criança hoje em dia. E não falo só de dinheiro não!

Depois de termos duas filhas lindas, chegamos à conclusão de que elas já requerem muito mais atenção e dedicação (incluindo financeira) do que podemos dar. E para garantir um futuro decente para elas, temos consciência de que, mais do que nunca, vale o ditado: “Um é pouco, dois é bom e três é demais.”

Para garantir que nada saia dos nossos planos, resolvi me submeter a uma vasectomia, ou deferentectomia para os mais entendidos.

Hoje faz uma semana que me submeti a esse procedimento. Por incrível que pareça, a vasectomia ainda hoje é rodeada de diversos mitos, tabus e dúvidas. Por isso mesmo é que resolvi compartilhar um pouco da minha experiência.

O procedimento

Vasectomia?! Argh!!! Só de pensar, você (leitor homem) já sente dor, não é mesmo?! Pois é eu também pensava assim.

No começo, enquanto você não se acostuma com a idéia de alguém cortando uma região tão “nobre” do seu corpo, dá até um certo sentimento de pavor! Mas o tempo passa, você estuda um pouco sobre o assunto, houve os comentários de outros vasectomizados e enfim toma coragem.

Mesmo sabendo que era um procedimento simples, nunca fui submetido a uma cirurgia na minha vida e fiquei um pouco ansioso. Mas foi super tranquilo.

Tudo começa com uma anestesia local. Eu até pensei que seria dolorosa, mas que nada, é muito menos dolorida do que uma anestesia de dentista.

Depois, é feita uma pequena (acredite, é realmente muito pequena!) incisão na pele do escroto (vulgo saco). Em seguida, é identificado o canal deferente de cada lado, que é o justamente o canal por onde os espermatozóides caminham desde o testículo até a chegada na uretra.

Neste local é feita uma ligadura ou corte destes canais. Depois são amarradas as pontas. Não se preocupe, a menos que exista um espelho no teto, você não vê tudo isso acontecendo.

Depois a pele é fechada com 1 ou 2 pontos de fio absorvível. O médico protege o local com um pequeno curativo e voilà, tudo estava pronto!

Terminado o procedimento, que durou aproximadamente meia hora, fiquei descansando por mais meia hora e fui liberado.

O negócio é tão simples que você até pode voltar dirigindo para casa, mas se tiver alguém para te dar uma carona, é o ideal.

A recuperação

Antibiótico, anti-inflamatório e dois dias de molho, em casa e preferencialmente na cama. Essa foi a recomendação do meu médico. Segui à risca, afinal não queria romper nenhum ponto, nem causar nenhuma infecção.

Você já levou uma bolada no saco durante um jogo de futebol?! Sabe aquela dor? Pois é, não tem nada a ver!!! :-)

Eu não senti dor, apenas um pequeno desconforto nos dois primeiros dias.

Sexo?! Pode fazer, mas só depois de 7 dias. Essa é a recomendação para evitar qualquer desconforto ou complicação. Também não se deve pegar em pesos nesse período.

Academia?! Isso vai demorar um pouco mais. :-( O médico me recomendou um período de mais ou menos 15 dias para voltar às atividades físicas.

De maneira geral, a minha recuperação tem sido excelente. Muito mais simples do que eu esperava.

E o mais importante, tudo continua funcionando como era antes!!! 😉

Derrubando os tabus

Tirando as gracinhas dos amigos e colegas de trabalho, a sua vida não muda.

Você não perde sua masculinidade, não fala mais fino, não perde os cabelos (pelo menos os que restaram), não tem dificuldade para urinar, enfim, nada muda.

O seu amigo lá de baixo continua o mesmo e o líquido seminal continua sendo ejaculado da mesma maneira. Isso ocorre porque ele é produzido na próstata e na vesícula seminal. Portanto, a composição do esperma continua a mesma, exceto pela falta de espermatozóides, claro. Ou pelo menos é o que deveria acontecer. Por isso mesmo, é que o médico recomenda que se use algum método anti-concepcional durante o período de pelo menos um mês após a vasectomia. Isto porque podem restar espermatozóides vivos no canal deferente.

Após um mês, deve ser realizado um espermograma para comprovar a eficácia do procedimento e aí sim, liberar geral!

Pais e filhos

Concluindo, se você é homem com mais de 35 anos, já teve os filhos que queria, tem um relacionamento estável com sua companheira e quer tranquilidade durante a sua vida sexual no que diz respeito a não ter mais filhos, não tenha medo! A vasectomia é uma opção bem mais simples e com menos riscos do que a laqueadura na mulher.

Só um detalhe! Saiba que, apesar do processo ser tecnicamente reversível, a probabilidade dessa reversão funcionar e tudo voltar a ser como era antes é muito baixa (menos de 33% dos casos). Além disso, o procedimento cirúrgico de reversão é bem mais complicado. Portanto, tenha absoluta certeza antes de fazer uma vasectomia.

Se você é um leitor que também fez vasectomia, que tal contar sua experiência nos comentários?! Conhece alguém que fez e tem algo a nos contar, vá em frente! Todas as informações são bem vindas.

Posts relacionados:

  287 Responses to “Vasectomia, mitos e verdades”

  1. Olá! Fiz a vasectomia dia 29/04. Hoje faz 3 dias a única coisa que sinto desde o dia que entrei no hospital e um pequeno desconforto no lado esquerdo da bolsa escrotal. Trabalho de motorista sai do hospital no dia seguinte retornei ao trabalho, sem esforço apenas dirigindo. Para nos homens e tal fácil e simples fazer este tipo de procedimento, agora para mulher e bem mais complicado. Por mim já estaria jogando um futebol, mas temos que cumprir as orientações médicas. Por isso q eu fiz e, se VC pretende fechar a fábrica, esqueça oque os outros falam faça e poupe a sua esposa. Tenho um casal de filhos maravilhoso.
  2. O corpo humano não é uma ciência exata. Se você esta lendo para decidir se faz a vasectomia ou não, NÃO FAÇA A CIRURGIA. Já passei por isso e sei muito bem como é. Alguns sentem um desconforto, outros sentem dor e uns não sentem nada. Eu não sinto nada e nem a cicatriz aparece no saco.. Tem que colocar uma lupa para ver que tem um risco. Estou muito FELIZ com minha cirurgia. Agora pense bem, a decisão é sua!!! Você tem que estar ciente de todos os riscos de uma cirurgia. Você tem que escolher o melhor médico da sua cidade e o melhor hospital. Outra coisa, a cirurgia dói sim, é desconfortável e acredito muito, que o repouso é um dos fatores mais importante para o bom resultado.
    Melhor médico+melhor hospital+repouso com todas as orientações = será mais um que vai escrever para todos que foi um SUCESSO!!!
    Sou casado, tenha uma filha linda e fiz minha vasectomia dia 08/01/15 com 100% de resultado positivo.
    Boa sorte para você que está borrando de medo. (Já passei por isso tb. kkkkkk)
    Abraços,
    Aécio
  3. Fiz a cirurgia há mais de um ano, e toda vez que começa uma ereção, começa a coçar so no lado direito no local que foi feita a sutura .Porque ?

 Leave a Reply

(required)

(required)

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>