Feb 272015
 
Recentemente eu tive esse tipo de problema.

O espaço na memória interna do celular começou a ficar reduzido e tentei mover aplicações para o SD card.

Qual foi minha surpresa quando descobri que a versão do Android (4.1.2) que vem originalmente instalada no Galaxy S3 Mini (GT-I8190L) não permite essa operação.

A justificativa, que ainda não está muito clara para mim, é que o Android trata o cartão como uma extensão da memória primária do celular. Teoricamente, ele deveria considerar tudo como um espaço só, pelo menos é assim que eu penso!!! Mas enfim…

Pesquisei um pouco sobre o assunto, e cheguei à seguinte receita para resolver o problema:

  1. Fazer o Root do sistema (necessário para usar os aplicativos)
    O vídeo à seguir explica como fazer isso. É bem simples e rápido. E o melhor, funciona!!!
  2. Criar duas partições no SD card
    Isso é necessário justamente para atender ao requisito do sistema operacional descrito no começo desse post. É necessário criar pelo menos DUAS partições no SD card. A primeira deve ser primária do tipo FAT32 e a segunda deve ser do tipo EXT2. Quanto a espaço, fica a seu critério. No meu caso, dividi meio a meio!!!
    Eu recomendo que usem o aplicativo Android Partition Tool (Aparted), pois dessa maneira vocês não precisam do computador para criar as partições, pode ser feito pelo celular mesmo.
  3. Linkar os aplicativos para o SD card
    Este é o último passo. Para isso, recomendo instalar o aplicativo Link2SD. Ele vai reconhecer a partição EXT2 do seu SD card e utilizar para copiar os arquivos das aplicações. Usem a opção “Criar link” do Link2SD. Obs: Em alguns aplicativos será possível mover quase 100% dos arquivos, porém outros vão permitir taxas bem menores. No geral, funciona muito bem e libera muito espaço.

Eu fiz essas operações no meu aparelho e funcionou muito bem. Inclusive ele até ficou mais rápido com o espaço liberado.

Fica a dica!!!

Feb 112015
 
Recebi essa mensagem por email já tem um tempo. Achei muito bonita e verdadeira.
Hoje finalmente tive um tempinho para publicá-la!

Nossos Velhos

Pais heróis e mães heroínas do lar. Passamos boa parte da nossa existência cultivando estes estereótipos.

Até que um dia o pai herói começa a passar o tempo todo sentado, resmunga baixinho e puxa uns assuntos sem pé nem cabeça.

A heroína do lar começa a ter dificuldade de concluir as frases e dá de implicar com a empregada.

O que papai e mamãe fizeram para caducar de uma hora para outra?

Fig1

Envelheceram…. Nossos pais envelhecem. Ninguém havia nos preparado pra isso.

Um belo dia eles perdem o garbo, ficam mais vulneráveis e adquirem umas manias bobas.

Estão cansados de cuidar dos outros e de servir de exemplo: agora chegou a vez deles serem cuidados e mimados por nós, nem que pra isso recorram a uma chantagenzinha emocional.

Têm muita quilometragem rodada e sabem tudo, e o que não sabem eles inventam.

Não fazem mais planos a longo prazo, agora dedicam-se a pequenas aventuras, como comer escondido tudo o que o médico proibiu.

Estão com manchas na pele. Ficam tristes de repente. Mas não estão caducos: caducos ficam os filhos, que relutam em aceitar o ciclo da vida.

É complicado aceitar que nossos heróis e heroínas já não estão no controle da situação.

Fig2

Estão frágeis e um pouco esquecidos, têm este direito, mas seguimos exigindo deles a energia de uma usina. Não admitimos suas fraquezas, seu desânimo.

Ficamos irritados e alguns chegam a gritar se eles se atrapalham com o celular ou outro equipamento e ainda não temos paciência para ouvir pela milésima vez a mesma história que contam como se acabassem de tê-la vivido.

Em vez de aceitarmos com serenidade o fato de que as pessoas adotam um ritmo mais lento com o passar dos anos, simplesmente ficamos irritados por eles terem traído nossa confiança, a confiança de que seriam indestrutíveis como os super-heróis.

Provocamos discussões inúteis e os enervamos com nossa insistência para que tudo siga como sempre foi.

Essa nossa intolerância só pode ser medo. Medo de perdê-los, e medo de perdermos a nós mesmos, medo de também deixarmos de ser lúcidos e joviais.

Fig3

Com todas as nossas irritações, só provocamos mais tristeza àqueles que um dia só procuraram nos dar alegrias.

Por que não conseguimos ser um pouco do que eles foram para nós? Quantas noites estes heróis e heroínas passaram ao lado de nossa cama, medicando, cuidando e medindo febres!!!

Fig4

E nós ficamos irritados quando eles esquecem de tomar seus remédios, e ao brigar com eles, os deixamos chorando, tal qual crianças que fomos um dia.

É uma enrascada essa tal de passagem do tempo. Nos ensinam a tirar proveito de cada etapa da vida, mas é difícil aceitar as etapas dos outros…

Fig5

Ainda mais quando os outros são nossos alicerces, aqueles para quem sempre podíamos voltar e sabíamos que estariam com seus braços abertos, e que agora estão dando sinais de que um dia irão partir sem nós.

Façamos por eles hoje o melhor, o máximo que pudermos, para que amanhã quando eles já não estiverem mais aqui conosco…

… possamos lembrar deles com carinho, de seus sorrisos de alegria e não das lágrimas de tristeza que eles tenham derramado por nossa causa.

Afinal, nossos heróis de ontem…

Fig6

serão nossos heróis eternamente …

(por Martha Medeiros)

Nov 112014
 
É hoje finalmente o grande dia!!!

Já está disponível o tão esperado PES 2015, que vem arrebatando prêmios em tudo que é feira de games por aí!!!

Quem jogou a demo, como eu, sabe o porquê desse sucesso todo. Veja o trailer oficial:

Pra quem ficou decepcionado com a versão anterior, saiba que esta versão recupera o prazer de jogar futebol virtual e nos leva a uma nova geração em games.

Bons jogos!!!

Oct 242014
 
fazinova-logo-65e08a1890737bd9866ebeaad5029cc5

Para você que é um empreendedor e quer se aventurar no mundo dos negócios, o site FazINOVA é uma excelente dica.

O site apresenta muitas dicas para quem quer ter sucesso em seus empreendimentos (virtuais ou não). Além disso, você ainda pode fazer alguns cursos disponibilizados gratuitamente no site.

O FazINOVA é uma iniciativa de Bel Pesce, mais conhecida como a Menina do Vale. Formada no MIT, ela trabalhou no Google e na Microsoft e retornou ao Brasil para compartilhar a sua experiência.

Vale a pena conferir.